Automobilismo

Ver Fórmula 1 pela TV até pode ser emocionante, se for um daqueles raros domingos com trocas de posições e se o Galvão Bueno caprichar na narração – o que ele geralmente faz. Mas estar in loco em uma das pistas da cultuada categoria de automobilismo pode oferecer muito mais ao fã da velocidade – e, olha, mesmo para quem não é muito chegado no esporte.

O brasileiro fã de F-1 geralmente não conhece mais do que São Paulo, uma etapa que infelizmente não oferece muita coisa fora de Interlagos. Em outras cidades, no entanto, a coisa é completamente diferente. Atrações ao ar livre, festivais de música, intercâmbio cultural e muita, mas muita balada.

vanessa_ruiz2

Vanessa Ruiz em ação: entrevista com Massa e Bernie Ecclestone de olho

Quem conta para a gente um pouco do famoso “circo da F-1” é Vanessa Ruiz, jornalista de São Paulo que acompanhou a categoria de 2008 a 2013 (fazendo o itinerário completo desta volta ao mundo na temporada 2012), para a Rádio Globo e outras empresas.

Segundo Vanessa, em muitas etapas a movimentação para o turista começa na noite de quinta-feira, com a agitação de alguns eventos paralelos. Aí, na sexta, com a ação em pista, a coisa esquenta de vez.

“Eu gosto de lugares para andar, fazer as coisas de graça. Aqui em São Paulo você não vê a F-1, ela está só em lugares privados”, diz a jornalista.

A pedido do Turista FC, Vanessa fez um apanhado do que há de mais interessante nas viagens da Fórmula 1. Confira abaixo:

Montreal (Canadá)
“É o mais legal de todos (é o da foto lá em cima). Porque em geral a corrida acontece na primavera-verão. Então é aquele movimento dos canadenses “saindo da geladeira”. Tem um clima super bom, as pessoas são muito animadas. Depende do ano, mas às vezes calha de ter uns festivais ao mesmo tempo do que a corrida. Em geral a cidade está sempre muito movimentada, cheia de gente para lá e para cá, muito viva. E tem uma cena noturna, muito bar, muito restaurante. E tem uma rua em que eles fecham para ser tipo a rua da Fórmula 1.”

Mônaco
“Mônaco é muito legal também, mas é raro as pessoas ficarem em Mônaco, porque é caro. Por exemplo, da última vez que eu fui, fiquei numa cidadezinha perto, Cap-d’Ail. É tudo tão pequeno, que para a gente é como se fosse um outro bairro, dá para ir a pé até a pista.”

“Em Mônaco tem muita festa à noite. Eles abrem a pista, e tem muita festa na pista. Tem alguns bares, com DJ, mas se você quiser fica na rua mesmo. Só que tudo termina meio cedo. Depois tem que limpar e tal. E tem as festas dos barcos, mas aí só se você for convidado.”

f1_monaco2

Mônaco e o seu famoso glamour ao lado da pista

Melbourne (Austrália)
“Melbourne é muito legal também, é longe. (A temporada) começa bem em Melbourne, porque tem um clima alto astral. Cheia de restaurante, um monte de lugar para passear de dia, de noite.”

Hungaroring (Hungria)
“Budapeste é muito legal também. Tem aquela parte histórica, você pode conhecer, tem ainda aquele clima meio comunista, de leste europeu. Também tem muita balada. Tem restaurantes de vários estilos diferentes, para agradar todo mundo. É gostoso de andar, tem um centro meio só para pedestres.”

Cingapura
“Cingapura é muito legal, diferente. Mas você tem que ter uma certa paciência com a cultura local. Pode levar uns 30 minutos para pegar um táxi, porque eles não querem te levar em determinado local. Tem umas leis estranhas. Umas bobeiras, mas às vezes causa estresse em quem está viajando. Por exemplo, você não pode comer no metrô, tem multa.”

“A corrida é de noite, então o ciclo de vida é diferente. Você fica até de manhã na rua. Para pessoas noturnas é ótimo. E tem também coisas da noite, bar, restaurante, balada.”

f1_spa2

Spa encanta mesmo quem não curte F-1

Spa (Bélgica)
“Spa é super romântico. É meio bucólico, no interior.”

“É chato de chegar, a pista tem um trânsito, mas o cenário é muito do campo, no meio do nada. Tem a cidadezinha, uns restaurantes muito gostosos. Você pode ficar num hotel muito charmosinho. O atendimento é super fofinho. Os belgas são muito fofos. Cuidadosos, no café da manhã, porque a estrutura é muito familiar.”

“Se a pessoa quiser ver uma pista tradicional, mas tem uma pessoa da família que não gosta de Fórmula 1, Spa é um bom lugar.”

Ah, neste texto ficamos só com as notas positivas da repórter, mas, para registrar, a Vanessa não é muito fã de Silverstone, China e Abu Dhabi.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário