(21) 3400-7688 | (21) 99279-1867

As melhores dicas para se assistir a um jogo da NBA em Nova Iorque

* Por Fábio Balassiano, do blog Bala na Cesta, especializado em basquete

Ver uma partida da NBA é um sonho pra quem gosta do esporte. Um sonho grande mesmo. Pra realizá-lo você precisa, claro, investir um pouco, se planejar, se organizar e abrir a cabeça pra viver uma experiência diferente do começo ao fim. Pensei na cidade de Nova Iorque, onde o pessoal do Turista FC cansa de fazer roteiros esportivos legais, para falar sobre como o fã do esporte da bola laranja pode desfrutar dos jogos.

Em primeiro lugar, a questão do ingresso. O site oficial de compra de ingressos da NBA é o TicketMaster, mas já vi muitos brasileiros reclamando que as coisas lá não são muito claras. O StubHub e o (escrito em português) Superingressos funcionam como sites de recompra, facilitando demais as coisas e fazendo com que o consumidor saia do país já com o ingresso impresso de casa. Sim, é só imprimir o ingresso ou passar o cartão de crédito na máquina que funciona pra entrar nos ginásios da NBA.

Uma única dica que eu dou aos amantes de basquete é: evite os lugares atrás das tabelas. Dependendo da localização, você verá perfeitamente um dos lados da quadra, mas no outro ficará “cego” em relação ao aro ou posições de garrafão (aconteceu comigo em 2001 no jogo do Lakers x Knicks…). Pode ser que no centro seja um pouco mais caro, mas há a garantia de assistir à partida em perfeita condição.

Em Nova Iorque há duas opções para se assistir a partidas da NBA. O Madison Square Garden e o Barclays Center. No primeiro você assiste o New York Knicks. No segundo, o Brooklyn Nets. Em ambos, a melhor opção para se chegar ao ginásio é via metrô. As estações Penn Station e Atlantic Av-Barclays Center. As duas deixam exatamente em frente aos ginásio. E em frente é em frente mesmo. Outra dica importante: por mais que tudo seja organizado, e é mesmo, tente chegar bem antes. Tipo uma hora, duas horas. Você viverá a entrada com calma, verá seu lugar, poderá circular um pouco e se estiver em um local errado terá tempo de se mudar sem pressa. E, ah, claro, as apresentações, os aquecimentos, são bem legais também.

 

Sobre o Garden, aqui vai uma dica especial. Fiz isso quando fui em 2015 e recomendo muito. Há uma visita guiada em horários específicos que vale muito a pena. Com exceção dos dias de jogos, é possível visitar até mesmo os vestiários. Você passa por fotos históricas, relembra momentos marcantes não só do Knicks, mas também do time de hóquei e também de shows incríveis, para pra tirar fotos, conhece os luxuosos camarotes e de quebra ainda pisa na quadra. Vale realmente a pena e custa US$ 15.

Outra coisa bem bacana. Pra quem é aficionado por basquete, em Nova Iorque há inúmeras quadras de rua. E tem jogo o dia inteiro. Nunca consegui jogar porque sempre fui no inverno – nevando não tem, né. Mas vale a pena tentar arriscar pra ver um pouco de como os nova-iorquinos amam o jogo. Dizem que as peladas / rachas são bem disputados e violentos. Adicionalmente, há inúmeras faculdades por perto (Syracuse, por exemplo) e partidas da NCAA são sempre uma ótima pedida. De carro, por exemplo, para Syracuse dá menos de 40 minutos.
Fui 4 vezes ao Garden. Duas pra valer e duas para eventos do All-Star Game de 2015. Em 2001, estava em New Jersey, peguei um ônibus, depois o metrô e parei dentro do ginásio para ver Knicks e Indiana Pacers (mais detalhes aqui) e na sequência Knicks x Los Angeles Lakers. Me chamou demais atenção a forma como os nova-iorquinos reverenciam seus ídolos.

No primeiro duelo, John Starks estava no meio da quadra e foi aplaudido de pé. Na quadra, Travis Best (sim, ele mesmo!) e Jalen Rose arrebentaram e deram a vitória ao Pacers. No segundo, a família do Red Holzman, técnico bicampeão com a franquia, foi homenageada. Em quadra, os angelinos estavam sem Shaquille O’Neal, mas Kobe Bryant jogou muito (33 pontos), acertou uma bola do meio da quadra no final do terceiro período, mas não evitou o triunfo dos donos da casa, que tiveram Allan Houston (33 pontos) e Latrell Sprewell (28) jogando demais. Bem legal.

Quase quinze anos depois eu voltei ao Garden – e também fui pela primeira vez ao ginásio do Nets no Brooklyn. Foi uma sensação diferente, pois estava trabalhando e tive livre acesso a partes que os torcedores não têm. De todo modo, a questão do acesso continuou muito fácil, assim como a alimentação. Na casa do Nets houve o sábado das atrações de 3 pontos, enterradas e habilidades. Na do Knicks, no domingo, um espetáculo absurdo que teve Jazz, show da Ariana Grande e tudo mais que vocês podem imaginar. E també um All-Star Game na quadra, hein…

Ah, e pra fechar um pouco do lado glutão que é sempre importante. Dentro dos ginásios há ótimas opções de comida. Os famosos hot-dogs, os hambúrgueres, as fatias de pizza e as cervejas. Tudo isso funciona bem. Mas eu nunca comi, comi pesado, dentro do ginásio. Por isso separei algumas dicas de comidas baratas e ágeis nas imediações do Garden e do Barclays Center pra vocês.

1º. Nürn-Burger do Nürnberger Bierhaus (817 Castleton Ave, Staten Island, 10310 (Regan Ave), 718 816-7461 / nurnbergerbierhaus.com). Aberto: Seg.sáb. 11h-23h; dom. 12h-21h. De inspiração alemã, tem bacon, cebola frita e sua escolha de queijo (American, cheddar, suíço, gouda). Além disso pretzel, mostardas doces e picantes chicoteado até em casa vale a pena o passeio de balsa. U$ 7,50.
________________________________________
2º. Original Smash’d do Twist & Smash’d (34-02 Steinway St, Astoria, Queens, 11101 (entre a 34th e 35th Aves), 718 806-1542 / twistandsmashdsports.com). Aberto 11h30-3h. O hambúrguer Angus com cheddar envolto em um pão crocante com o logotipo da casa realmente encanta e é absurdamente barato. Nem parece de verdade. U$ 5,50, U$ 9,50 (duplo).
________________________________________
3º. Rare Bar & Grill (152 W 26th St, Gramercy & Flatiron, New York (entre Sixth e Seventh Aves) 212 807-7273 / rarebarandgrill.com – Primeiro burgão flambado, este hambúguer é mergulhado em cheddar e coroado com bacon e macã defumada. Uma aberração de gordura. Delicioso. U$ 15.
________________________________________
4º. Double ShackBurger do Shake Shack (Madison Square Park, 23rd St, Gramercy & Flatiron, New York, (Madison Ave), 212 889-6600 / www.shakeshack.com). Aberto 11h-21h. O hambúrguer é feito de uma mistura de carne e costela, com maionese e queijo americano em uma batata grelhada. Do lado do ginásio do Knicks. U$ 7,35.
________________________________________
5º. Original 5 Napkin burger do 5 Napkin Burger (35-01 36th St, Astoria, New York (at 35th Ave), 718 433-2727 / fivenapkinburger.com). Aberto Seg.-sex. 11h30-0h; sáb.-dom. 11h-0h. Queijo Gruyère importados da Suíça e cozido lentamente, cebolas caramelizadas cobrem o hambúrguer. O pão macio leva alecrim. Cinco guardanapos pode ser pouco. Porque a galera se suja mesmo.. U$ 15,95.

Fechar Menu
WhatsApp chat